Genêros nos negócios: a mulher e as diferenças no mundo dos negócios

Tempo de leitura: 4 minutos

Comunicação direta, liderança diferenciada, consciência social apurada e facilidade para trabalhar em equipe são algumas das características que diferenciam as mulheres no universo corporativo. Porém, além dessas, a presença da mulher no mundo dos negócios representa uma oportunidade de inovação e de valorização das diferenças, bem como um esforço importante na busca pela igualdade de gêneros.

Neste texto, abordaremos como a presença da mulher em cargos de alto escalão e sua atuação como empreendedora podem ajudar no desempenho da empresa.

A questão de gênero e a mulher no mundo dos negócios

Um estudo das Universidades de Maryland e Columbia, realizado em mais de 1500 empresas norte-americanas, demonstrou que quanto maior o papel da mulher na administração, melhor o desempenho geral da instituição.

Outro estudo, realizado pela universidade de Columbia e pelo Banco Mundial em mais de 100 países, indicou que, nos territórios em que há mais mulheres atuando como parlamentares, os níveis de corrupção são menores se comparados com países em que a maioria dos parlamentares é formada por homens. 

Considerando apenas esses dois aspectos é possível inferir a importância da ética e de um gerenciamento adequado para o gênero feminino, valores que certamente beneficiam uma empresa. Socialmente falando, as mulheres trazem uma dimensão de sensibilidade e de empatia atrelada à razão, competência que se mostra como diferencial para o empreendedorismo.

Enquanto os homens optam por propor ações práticas e buscar soluções costumeiras, as mulheres tendem a desenvolver bons relacionamentos, bem como a se preocupar com os outros e a resolver situações controversas, pensando nos benefícios de se manter o equilíbrio no ambiente de trabalho. 

A quantidade de mulheres empreendedoras e a importância da diversidade

O número de mulheres empreendedoras tem crescido no Brasil, somando atualmente mais de 8 milhões de donas de negócios pelo país. Além disso, representam cerca de 43% dos cargos de gerência em pequenas empresas, segundo pesquisa realizada pelo SEBRAE.

O desejo de mudar de vida e de poder incrementar a renda da família são fatores que, associados ao crescente empoderamento feminino, levam mulheres a empreender. A independência econômica significa uma melhora na autoestima e a possibilidade de lidar com homens em pé de igualdade. Além do mais, o poder de contribuir para a melhora econômica e social daqueles que pertencem ao meio em que a mulher está inserida aparece como motivação, de forma a destacar o impacto social do empreendimento, o qual deve ser medido periodicamente.

Ações importantes que impactam as oportunidades no mundo dos negócios

Algumas ações foram elaboradas pela Organização da Nações Unidas (ONU) com o intuito de oferecer à mulher melhores oportunidades, bem como de conscientizar a sociedade sobre o impacto positivo da diversidade no mundo dos negócios. Veja as principais iniciativas a seguir:

  • ODS5 – Objetivo Número 5, de uma lista de 17, elaborados pela ONU para transformar o mundo. Esse objetivo está voltado especificamente para o estabelecimento da igualdade de gênero e para o empoderamento de mulheres e meninas pelo mundo.
  • HeForShe – Também conhecida no Brasil como “ElesporElas”, essa campanha objetiva eliminar o comportamento machista de homens e meninos por meio do exemplo positivo. A ideia é que os homens tomem consciência de comportamentos machistas prejudiciais e tornem hábito se opor a eles e denunciá-los, solidarizando-se com as causas femininas.
  • NVCA – O National Venture Capital Association é um grupo que oferece fundos a empreendimentos inovadores. A instituição se mostra preocupada em expandir as oportunidades de trabalho tanto para homens como para mulheres, valorizando políticas públicas e inclusivas, fomentando novos talentos. Para o NVCA, a presença da diversidade é fundamental para que uma empresa seja competitiva.

A mulher no mundo dos negócios é uma realidade cada vez mais frequente, embora ainda seja preciso uma mudança de pensamento generalizada quanto à capacidade feminina para empreender de forma competitiva, estando à frente de grandes empresas. A preocupação com questões sociais e com o próprio ambiente no que concerne ao bem estar têm se mostrado como os grandes diferenciais para o sucesso da liderança feminina.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe essa ideia nas redes sociais para inspirar ainda mais mulheres a iniciarem suas carreiras empreendedoras!

Sobre Agatha Martins

Agatha Martins

Agatha Martins é graduada em Produção Multimídia pela UNI-BH, Designer UI/UX e empreendedora. Agatha participou do @startupfarm (uma das maiores aceleradoras de startups da América Latina colaborando na startup One Cloud), é empreendedora social e community manager no Baanko Challenge (acelerador de negócios de impacto alinhados com os objetivos da ONU), parte do núcleo organizador do MES (Meetup de Empreendedorismo Social Beagá) e foi coordenadora de mobilizadores do Encontro de Jovens Transformadores 2016. Segue sua jornada auxiliando empresas e instituições a agirem de forma criativa e colaborativa. Acredita no design de impacto social e na inteligência coletiva como ferramentas para transformar realidades extremas e construir um mundo mais igualitário e sustentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *