Desenvolvimento sustentável em 2017: veja algumas ações incríveis

Tempo de leitura: 3 minutos

De acordo com a Organização das Nações Unidas, o desenvolvimento sustentável é aquele “capaz de suprir todas as necessidades da geração atual sem comprometer os recursos para as próximas gerações”. Ou seja, tem a ver com a preservação e o não esgotamento de recursos para que as próximas gerações não sintam dificuldades em ter qualidade de vida.

Diante de uma sociedade que conta com mais de 7 bilhões de pessoas na qual o consumismo é supervalorizado, trata-se de um grande desafio. Porém, a preocupação nesse sentido é cada vez maior. Por causa disso, diversas organizações vêm elaborando ações para tornar o mundo melhor e mais sustentável.

A seguir, conheça 4 das ações mais incríveis de 2017 e entenda seus impactos!

Ônibus movido a hidrogênio

Deslocar-se na cidade nem sempre é uma tarefa fácil e, muitas vezes, não é econômica para o meio ambiente. Com um número maior de carros rodando, aumenta o consumo de recursos naturais e de poluição. Com isso, o uso de transporte coletivo é uma solução.

Porém, os ônibus utilizam combustíveis que não são amigos do ambiente. Em 2017, o Brasil deu o primeiro passo para mudar isso.

Tal ação englobou os testes com um ônibus movido a hidrogênio, liberando apenas água na atmosfera. Em uma megalópole como São Paulo, os resultados se mostraram positivos e abrem uma grande esperança para que o futuro seja mais limpo.

Programas sociais de apoio a imigrantes

A crise humanitária ligada aos refugiados é um assunto que precisa ser discutido e tratado com responsabilidade. Após a migração, as pessoas que deixaram seus locais de origem necessitam de apoio e o Brasil e outros países vêm fazendo isso.

Em Curitiba, por exemplo, a Unilehu montou um programa de capacitação para confecção de bolsas e outros artigos a partir de banners que seriam descartados. Essa é uma forma de permitir que os refugiados gerem renda e consigam se estabelecer.

Como a integração também é importante, o projeto Empoderando Refugiadas busca tratar de violência de gênero, cultura local e direitos das mulheres para que as refugiadas reconheçam suas situações.

O projeto da ONG Abraço Cultural, em que refugiados podem gerar renda para ensinar outras línguas, tem pretensões de se tornar internacional, favorecendo a troca de culturas e a integração dessas pessoas.

Incentivo chinês ao uso de bicicletas

A China é o país mais populoso do mundo e, com isso, precisa ter máxima preocupação quando o assunto é sustentabilidade. Sabendo disso, a empresa chinesa ofo se uniu ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para incentivar o uso de bicicletas.

A empresa permite que as pessoas aluguem bicicletas diretamente de seus celulares, estimulando a economia colaborativa e o uso de um meio de transporte limpo. Além disso, parte dos lucros é destinada a projetos sociais igualmente inovadores.

Definição de 2017 como o ano do Turismo Sustentável

Tão importante quanto cuidar da sustentabilidade “em casa” é reconhecer que essa é uma preocupação que deve ser global. Diante da facilidade de se deslocar de um local para o outro, turistas de todos os tipos precisam reconhecer a necessidade de incluir o desenvolvimento sustentável em suas ações.

Pensando nisso, a ONU declarou 2017 como o Ano do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento.

A iniciativa tem a intenção de, com a ajuda de governos e outras organizações, conscientizar os viajantes e conseguir cada vez mais apoio nessa ação tão necessária.

Graças a essas e outras ações, o desenvolvimento sustentável se torna, a cada dia, uma possibilidade. Vale a pena ficar de olho no que vem pela frente para reconhecer, cada vez mais, as possibilidades nesse sentido.

Para não ficar de fora, curta a nossa página no Facebook e saiba todas as novidades!

Sobre André Lara Resende

Idealizador e Empreendedor Social na Baanko, Professor na FDC, Consultor no BID, Presidente Voluntário do Instituto Um Pé de Biblioteca, Engenheiro Eletricista, Membro e líder de capítulo na SDSN rede da ONU para o desenvolvimento sustentável local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *