Como posso criar e acelerar o meu projeto de impacto social?

Tempo de leitura: 3 minutos

Diante da ascensão da economia colaborativa, criar um projeto de impacto social é uma excelente oportunidade para empreender e mudar o mundo. Porém, não basta apenas ter uma ideia transformadora e de grande magnitude.

É interessante seguir um processo que vai desde a criação até a aceleração da chamada startup social. A ideia ganha fôlego para se consolidar e, a partir de então, provocar os resultados esperados.

Quer saber como criar e acelerar o seu projeto de impacto social? Então veja a seguir dicas para acertar na execução de todas essas etapas!

Faça um planejamento com o canvas social

O canvas é uma importante ferramenta de planejamento de negócio. Por meio dela, você reconhece propósitos da empresa, fornecedores, clientes e demais características relevantes.

Tratando-se de um projeto de impacto social, nada mais justo que usar a sua versão social. Dentro dessa abordagem, é preciso analisar a proposta de valor, os principais beneficiários, as prováveis mudanças na sociedade e os obstáculos que serão encontrados.

Também são mapeados a necessidade de recursos e de onde eles serão obtidos, assim como os relacionamentos que serão mantidos.

Isso dará uma visão clara de todo o panorama do projeto, ajudando na alocação de esforços e na consolidação de efeitos.

Tenha um mentor ao seu lado

Navegar pelo universo do empreendedorismo significa encontrar algumas turbulências no caminho. Com um projeto de impacto social, isso é ainda mais verdadeiro devido à característica inovadora e de alto valor.

Para lidar melhor com as dificuldades, o ideal é ter um mentor ao seu lado. Busque alguém realmente importante para o projeto que você pretende construir e que possa contribuir com experiência, contatos e orientação.

Mais do que isso, deve ser alguém em quem você se inspire de modo a tornar o processo ainda mais simples e motivante.

Inscreva-se em projetos de aceleração

Os projetos de aceleração funcionam de maneira parecida para as startups tradicionais, com rodadas de investimentos e ambientes que favorecem o aprendizado e integração. Com isso, um negócio social pode se beneficiar intensamente dessa possibilidade.

Vá atrás de projetos desse tipo, como o oferecido pela RedBull, e faça a inscrição. O programa da empresa de bebidas energéticas viabiliza que empreendedores sociais tenham um espaço para conhecer novas pessoas, divulgar projetos e inspirar mudanças positivas.

Outra possibilidade é o Baanko Challenge, que busca novos empreendedores da área e oferece oportunidades únicas de aceleração.

O ideal é escolher aquele que tem mais a ver com o seu empreendimento, de modo a favorecer o sucesso.

Busque investidores

Como ter uma fonte de recursos é importante para fazer o empreendimento social dar certo, buscar investidores é indispensável.

Isso se torna mais fácil com a ajuda de um mentor, que te coloca em contato com pessoas potencialmente interessadas em investir em um negócio como o seu. Já os programas de aceleração fazem a ponte direta entre quem investe e quem capta os recursos.

Ter uma boa quantidade de investidores acreditando no empreendimento aumenta o seu impacto e favorece a sua atuação, então esse ponto não pode ser desconsiderado.

Faça uma boa apresentação

Para conseguir que o investidor aporte capital em seu projeto de impacto social é necessário apresentar motivos concretos para que ele o faça. Por isso, é fundamental caprichar na apresentação.

Nesse momento é importante mostrar qual é a ideia por trás do negócio, quais são os impactos que ele pode gerar e os resultados que ele pode trazer. Inclusive, fazer uma análise de impacto do projeto conta pontos a favor para que os investidores possam decidir.

A partir da execução desses passos, o projeto de impacto social aumenta as chances de ser acelerado e de se consolidar de vez dentro do mercado. Para ter mais dicas sobre o tema, assine nossa newsletter e tenha nosso conteúdo sempre por perto!

Sobre André Lara Resende

Idealizador e Empreendedor Social na Baanko, Professor na FDC, Consultor no BID, Presidente Voluntário do Instituto Um Pé de Biblioteca, Engenheiro Eletricista, Membro e líder de capítulo na SDSN rede da ONU para o desenvolvimento sustentável local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *